quinta-feira, 15 de maio de 2008

AS COISAS ESSENCIAIS



"Leia este poema bem devagar, pois cada imagem merece a preguiça do olhar:

No mistério do Sem-Fim,
equilibra-se um planeta.
E, no planeta, um jardim,
e, no jardim, um canteiro:
no canteiro, uma violeta,
e, sobre ela, o dia inteiro,
entre o planeta e o Sem-Fim,
a asa de uma borboleta.

É pequeno, mas diz tudo. Nada lhe falta. Uni-verso. Nenhuma palavra lhe poderia ser acrescentada. Nenhuma palavra lhe poderia ser tirada. Assim se faz um poema, com palavras essenciais. O poema diz o essencial.

O essencial é aquilo que, se nos fosse roubado, morreríamos. O que não pode ser esquecido. Substância do nosso corpo e da nossa alma...
Os poetas são aqueles que, em meio a dez mil coisas que nos distraem, são capazes de ver o essencial e chamá-lo pelo nome. Quando isto acontece, o coração sorri e se sente em paz..."


(Da crônica intitulada: As Coisas Essenciais - de Rubem Alves, do livro: O Retrono e Terno)


Um comentário:

Eroete disse...

oie Amiga! muito lindo o seu blog. que a paz esteja sempre presente em seu coração e sua mente, para que vc viva harminicamente junto de todos os que lhe rodeiam. bjusssssssss