domingo, 3 de julho de 2011

HORIZONTE

Quero recostar minha cabeça em teu peito
E permanecer em teu abrigo
Sentindo teu calor, teu cheiro
E esquecer que existo
Porque eu estaria completo:
Completamente mudo, completamente surdo
Completamente alheio e cheio de tudo:
De tudo o que preciso ter para sentir prazer
Não quererei comer, não quererei falar
Não quererei beber, não quererei andar
Não quererei mais nada
A não ser esse eterno e tenro momento
Que remete à primeira experiência de mim
E que seja este o fim

Relbier Oliveira


2 comentários:

Relbier Oliveira disse...

Olá, Ashlea, td bem?
Gostei do teu blog... Vou seguí-la para ver mais dessas poesias que colecionas. Posso sequestrar algumas para o nosso blog tb?! (Manteremos os créditos, obviamente).

Bjos.

ASHLEA disse...

Obrigada pela visita,sem problemas fique à vontade,pode copiar quantas precisar.recisar.