quarta-feira, 11 de julho de 2012

Essa lembrança que nos vem às
vezes...folha súbita que tomba
abrindo na memória a flor
silenciosa de mil e uma pétalas
concêntricas...Essa
lembrança...mas de onde? de
quem? Essa lembrança talvez
nem seja nossa,mas de alguém
que, pensando em nós, só
possa mandar um eco do seu
pensamento nessa mensagem
pelos céus perdida...Ai! Tão
perdida que nem se possa
saber mais de quem!
_____Mário Quintana___

Nenhum comentário: